Prevalência de disfunção craniomandibular em pacientes portadores de próteses totais duplas e pacientes dentados naturais

Renato de A. Ribeiro, Francisco de A. Mollo Júnior, Lígia A. P. Pinelli, João N. Arioli Júnior, Weber Adad Ricci

Abstract


O presente estudo avaliou a prevalência de sintomas de disfunção craniomandibular (D.C.M.) em sessenta pacientes desdentados totais portadores de próteses totais duplas (Grupo 1) comparados com sessenta pacientes dentados naturais (Grupo 2 ). Todos os pacientes entrevistados pertenciam à faixa etária de 50 a 70 anos, procedimento que visou minimizar a influência da idade nos resultados da investigação. Os dados foram levantados por um único examinador a partir do histórico dental e de um índice anamnésico. A partir dos resultados obtidos, foi possível observar que 55% dos desdentados portadores de prótese total e 61,7% dos dentados naturais apresentavam algum grau de DCM, diferença não comprovada estatisticamente (P>0,05). Este trabalho sugere que a perda dos dentes e o uso de prótese total não influenciam na presença de sintomas de DCM.



DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2002.v5i3.309